quarta-feira, 9 de julho de 2008

FATO ENGRAÇADO

Durante um festival de cinema que não vou citar qual foi, um homem de meia idade se aproximou dos organizadores do evento e se intitulou cineasta, um rapaz que o acompanhava disse que ele já tinha 50 filmes. Os organizadores ficaram com a pulga atrás da orelha, pois nenhum cineasta brasileiro chegou a essa marca. Quando o rapaz que o acompanhava disse o bairro em que eles filmavam, então os produtores do festival caíram na risada, pois se tratava de um bairro em São Paulo onde se faz filmes pornôs. Pode uma coisa dessas? Um diretor de filme pornô se intitular cineasta, isso só pode ser brincadeira.

10 comentários:

livia disse...

Ué?
Por que quem faz filme porno nao e cineasta?

Cinema em maringá disse...

Quem faz filme pornô não é cineasta por uma simples questão de produção, enquanto num filme de cinema é preciso de no mínimo 30 pessoas atrás das câmeras, num filme pornô basta ter três pessoas, um câmera, um maquiador e o diretor. Isso quando o próprio diretor não é o câmera e até mesmo o editor. E também o que diferencia, é o custo da produção, num filme cada rolo de película de três minutos custa na media de 600 reais e ainda não pode ser regravado, ao contrario da mini-dv que pode ser regravado e custa em media vinte reais, que geralmente é usado nos filmes pornôs. Minha cara Lívia, para se fazer um filme no Brasil vai anos, só pra você ter uma idéia o filme da minha grande amiga Tizuka Yamazaki, Gajin 2 que foi gravado em 1998 e só foi ser lançado no cinema em 2005. Isso é so pra você ter uma idéia do tempo que demora pra se fazer um filme no Brasil, imaginando esse tempo tente imaginar o trabalho que se dá pra se fazer um filme. Lívia eu não estou desfazendo dos filmes pornôs afinal eu até os admiro porque em pouco tempo eles conseguiram virar uma industria, e o cinema ainda não conseguiu isso.

livia disse...

Bah! Escrevi uma resposta gigante e deu pau! O vida!

Vamos ver se eu lembro de tudo:

O numero de pessoas atras de uma camera nao serve para caracterizar o que é o que nao é cinema. Motivos? Filmes. Busque por: novo cinema independente amaericano (Jarmurch, Richard Linklater, Herzog. Ta, esse ultimo nao é nada "novo", mas entra en "americano") Fora dos Estados Unidos a coisa fica mais facil: Sukurov (nao sempre) e seu mentor (sempre) Tarkovsk na Russia; na Franca o inicio da nouvelle vague é um bom exemplo e até no Brasil o "cinema novo" contradiz o seu pensamento. Na verdade todo o "cinema novo" latinoamericano é favoravel a "producao caseira" como se diz. Atuamente, Carlos Sorin é um de tantos exemplos.

A questao financeira segue a mesma logica. Fazer filme é caro, seja porno ou "normal". Sem contar que pelicula nao e a unica plataforma de gravacao no cinema. Exemplos vao desde Hollywood ao Camboja. Ja estive em festivais em que se apresentava filmes gravados em mine dv. Olho, nao era festival porno.

Enfim, delimitar o que é cinema e o que nao é é bastante complicado e essa complicacao vem, justamente, da amplia variedade de fatoresque se pode analisar em um filme. Sua producao? Sua gravacao? a edicao? a distribuicao? ou, finalmente, a projecao?

Que vc goste mais de um estilo de cinema e natural (eu particulamente, odeio coisa sem dialogo e com camera em mao, tipico do cinema independente, filmado em minidv e de diretor, ator e editor), mas existe um outro tipo de cinema, indente do nosso gosto.

livia disse...

Ah...e o cinema nao conseguiu virar industria no Brasil, ne?

Acho que no Brasil nem o cinema porno conseguiu virar industria, tamanha é nossa incompetencia em areas administrativas, mas isso é outro papo

beijos

Cinema em maringá disse...

Bom Livia, quase todos os meus filmes são gravados em mini-dv. Citei esse exemplo porque é o fato que mais ocorre.E quem faz filme pornô não é cineasta (e ponto filnal).Por que você faz filme pornô??????rsrsrsrs

livia disse...

Entao que faz filme porno nao e cineasta porque vc diz que nao?

ok.

fim de discussao

rachel.coelho disse...

simples. é só olhar no dicionário.

cineasta = quem exerce atividade relacionada com o cinema.

se quem faz filme pornô não fosse considerado cineasta, o produto não seria chamado de FILME.

preconceito bobo o seu e desses tais organizadores do festival. quem nunca viu um pornôzinho na vida?

rachel.coelho disse...

outra:

cidade de deus e tropa de elite não são indústria?

???

Cinema em maringá disse...

Cidade de Deus e Tropa de elite não são industria, se não eles não teriam sido feitos com lei de incentivo fiscal.

rachel.coelho disse...

nossa, que viagem ...

rs!